Os velhos amores

por aderaldo

Não sou negro, nem poeta,
não estou na moda nem nas rodas literárias,
Não vou às Bienais, nem a saraus
escrevo pouco, e só!

Não sou ativista, nem índio aculturado
não vejo filme cabeça nem me masturbo o intelecto
Não como carne, nem bebo cerveja
escrevo pouco, e só!

Não curto Caetano, nem outros baianos
não amo minha terra, nem a terra alheia
Não canto serestas, nem toco chorinho
escrevo pouco, e só!

Agora, quer ver me animar?
Me abre uma jaca mole,
bem amarelinha, madura e silente
com sua pele áspera
seu visgo entranhado
seu caroço grave
seu cheiro insistente
em seu despudor.
Aí, escreverei muito, e acompanhado!
Só!

Anúncios